Bem vindo ao portal do comércio de bens, serviços e turismo brasileiro

Federações atuam em prol da população de norte a sul do País

Compartilhe essa publicação:

Clique aqui e saiba mais sobre os impactos da seca no comércio amazonense

Os fenômenos meteorológicos que vêm assolando extremos do Brasil causam preocupações de cunhos ambiental, social e econômico, mobilizando autoridades e a sociedade civil em busca de ações para mitigar seus impactos. No sul do País, mais de 140 municípios de Santa Catarina vêm sofrendo com temporais intensos desde o início do mês; enquanto na Região Norte, o Amazonas vive a maior estiagem dos últimos anos, que tornou rios em estradas de barro com bolsões d’água e embarcações atoladas, impedindo a navegação e o abastecimento.

As Federações do Comércio de Bens, Serviços e Turismo estaduais estão atuando localmente, especialmente por meio de seus braços sociais, Sesc e Senac, em campanhas de coleta de alimentos, a serem distribuídos entre a população dos municípios afetados, ora pela chuva, ora pela seca.

Saiba mais: Fecomércio-AM divulga nota pública sobre o abastecimento de mercadorias no Estado

No Amazonas, o presidente em exercício da Fecomércio-AM, Aderson Frota, chamou a atenção para o fato de que “mais da metade da população está sofrendo carência alimentar e de água potável. O cenário ainda não atingiu o ápice dos problemas, com alto impacto social, aumento de preços e desabastecimento do comércio”. Em 16/10, a Fecomércio-AM realizou uma reunião com representantes de portos, terminais e transporte intermodal para discutir os impactos da estiagem no Amazonas, que tem dificultado a navegação e o transporte de pessoas e cargas pelos rios do Estado.

Com o objetivo de ajudar as famílias atingidas pela forte seca no Estado, o Sesc Amazonas está realizando a campanha Sesc Solidário para arrecadar mantimentos que podem ser entregues nas unidades da instituição. Segundo o Governo do Estado, dos 62 municípios, 60 já foram afetados, e cerca de 500 mil pessoas devem ficar sem acesso à água e comida. Em Manaus, o Rio Negro atingiu o menor nível em 121 anos, na segunda-feira (16/10).

Saiba mais: Sistema Fecomércio ativa campanha Sesc Solidário em apoio aos atingidos pelas fortes chuvas em Santa Catarina

Já em Santa Catarina, a Fecomércio, o Sesc e o Senac SC ativaram a campanha emergencial Sesc Solidário em auxílio às pessoas atingidas pelas fortes chuvas. As doações devem ser direcionadas para o Programa Mesa Brasil Sesc, por PIX (chave: mesabrasilsescsc@sesc-sc.com.br), depósito ou transferência bancária; ou doações de leite, achocolatado, biscoitos, macarrão, molho pronto e fraldas nas unidades do Mesa Brasil de Blumenau, Chapecó, Joinville, Lages e São José. Após uma trégua, Santa Catarina volta a ter previsão de temporais isolados e volume de chuva expressivo nos próximos dias.

Recentemente, o Vale do Taquari, no Rio Grande do Sul, enfrentou grandes desafios em razão das fortes chuvas que resultaram em enchentes. O Mesa Brasil Sesc RS intensificou ainda mais suas ações para auxiliar as comunidades de Lajeado, Cruzeiro, Mariante, Colinas, Encantado, Muçum, Roca Sales, Estrela e Arroio do Meio. Durante o mês de setembro, foram distribuídas 30,4 toneladas de alimentos e bebidas, 4,5 toneladas de produtos de higiene e limpeza e 5 toneladas de vestuário e itens diversos. Ao todo, 40.083 pessoas receberam o apoio do programa, o que foi possível a partir da rede de solidariedade formada pela população e por empresas como MDias, Fruki Bebidas, Mondelez, Nestlé, Pepsico e Scapini, que fizeram suas doações com o objetivo de ajudar nesse momento de vulnerabilidade. “Não fazíamos ideia da força que essa rede possui. Foram inúmeras doações para as famílias atingidas e em um espaço curto de tempo”, relata Luciana Basile, coordenadora do Programa Mesa Brasil no RS. 

Saiba mais: Mesa Brasil Sesc distribuiu cerca de 40 toneladas no Vale do Taquari em setembro

 

 

Scroll to Top