Bem vindo ao portal do comércio de bens, serviços e turismo brasileiro

CNC desenvolve projeto de sustentabilidade energética

Compartilhe essa publicação:

Presidenteda CNC, José Roberto Tadros, assina contrato com empresas que serão responsáveis pela construção das usinas fotovoltaicas. Crédito: Marcelo Freire

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), com a intenção de ampliar a sustentabilidade das edificações do Sistema Comércio, firmou contrato para a construção de quatro usinas fotovoltaicas que vão ter uma geração de, aproximadamente, 20 MW de energia. A assinatura do termo ocorreu durante a reunião de Diretoria da Confederação, realizada em 20 de outubro.

Na ocasião, o presidente da entidade, José Roberto Tadros, explicou que, após finalizadas, as estruturas vão suprir o consumo de energia elétrica dos prédios da CNC. “Estamos fazendo um contrato para gerar energia própria para nossas unidades no Rio de Janeiro e em Brasília. Este é um marco de inovação na história do Sistema Comércio e estamos trazendo como parceiros as Federações do Comércio do Rio de Janeiro e do Distrito Federal, os Departamentos Nacionais do Sesc e Senac, além dos departamentos regionais do Sesc e do Senac nesses estados”, afirmou Tadros.

Compromisso ambiental e economia

O vice-presidente financeiro, Leandro Domingos, comentou os esforços realizados pela CNC na busca constante de gerar economia de energia. Segundo ele, a Confederação, com a anuência do presidente Tadros, contratou um especialista para elaborar um estudo técnico para a produção de energia solar. “A ideia já está em estudo há um ano e meio. As usinas serão construídas pela CNC, que arrendará parte delas para as entidades parceiras, gerando receitas e redução de custos com energia elétrica. Essa mudança veio ao encontro tanto do compromisso ambiental da Confederação quanto do objetivo de redução de custos”, lembrou Domingos.

As usinas irão funcionar nos municípios de Barra do Piraí e Vassouras (no estado do Rio de Janeiro) e em Brasília (região de Brazlândia). Participaram do processo de licitação 7 empresas e a escolha levou em conta questões técnicas e de menor preço.

O projeto recebeu o nome de Aton, em referência ao deus do sol da mitologia egípcia, considerado fonte de luz, vida e calor. A iniciativa está sendo desenvolvida pela vice-presidência financeira (VPF), por meio da Gerência Executiva Financeira (GEF) para reforçar o compromisso das entidades do Sistema Comércio com o desenvolvimento sustentável e com a produção de energia limpa, reduzindo o impacto de suas atividades no meio ambiente.

Scroll to Top