Bem vindo ao portal do comércio de bens, serviços e turismo brasileiro

O contador e a reforma tributária

Nova legislação fiscal cria oportunidades para profissionais que orientam pessoas e empresas para o planejamento contábil

*por Daniel Coêlho

Depois de mais de 4 décadas, um dos principais anseios dos brasileiros finalmente saiu do papel: a reforma tributária. O novo texto propõe, dentre outras coisas, a unificação de tributos, projeta simplificação no recolhimento, reduzindo as distorções e aumentando a transparência ao consumidor, além de facilitar a vida de pessoas físicas e jurídicas. Ocorre que nesse novo contexto tributário do país, o contador é peça-chave e deve assumir esse papel, pois esses profissionais podem contribuir com o fortalecimento da confiança e da credibilidade da sua profissão, bem como contribuir para uma transição gradual para o novo sistema tributário.

De certo, são muitas as oportunidades que podem surgir com a reforma tributária e o profissional contador deve aproveitá-las. Uma delas é o fato de que a mudança pode efetuar um impacto positivo na competitividade das empresas brasileiras, na medida que projeta a simplificação dos recolhimentos.

Nesse cenário, o contador pode, por exemplo, avaliar e monitorar o impacto das mudanças para as empresas, bem como adotar estratégias para compensar qualquer perda de competitividade que possa ocorrer, reiterando a diversidade de atribuições que a profissão oferta e o quanto esse profissional pode ser diverso no seu campo de atuação, entendendo não só das ações contábeis, mas de estratégias empresariais.

Não se pode negar que os desafios frente ao novo texto serão grandes, mas há de se enfrentá-los e explorar as oportunidades de mercado, mostrando o quanto o contador tem compromisso com a excelência e com os serviços contábeis de alta qualidade, sendo profissional multifacetado, com visão empreendedora e inovadora para indicar aos seus clientes o melhor caminho a seguir diante desse novo cenário.

Além disso, os contadores precisarão entender as implicações das mudanças nas leis fiscais para orientar seus clientes sobre como otimizar a situação tributária. Demandas desse porte exigirão conhecimento avançado em planejamento tributário e habilidades analíticas para identificar as melhores opções para cada cliente. Temos confiança que os profissionais contábeis brasileiros estão aptos para liderar demandas desse porte e a Fenacon está apta a apoiá-los.

*Daniel Coêlho é presidente da Fenacon (Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento).
Texto publicado originalmente no site Poder 360, em 14 de janeiro de 2024

Scroll to Top