Com o apoio da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o jornal Correio Braziliense realizou, nesta quinta-feira (4), o seminário Correio Talks, com o tema A nova fase do comércio e do turismo: mais empregos e mais renda, que discutiu os avanços e perspectivas do comércio e turismo, setores que vêm se recuperando progressivamente dos efeitos da crise econômica agravada pela pandemia da Covid-19.

O evento foi realizado na sede do jornal, em Brasília (DF), e transmitido on-line, com a abertura do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e com a mediação dos jornalistas Denise Rothemburg.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, fez uma saudação de abertura, por meio de mensagem de vídeo, ressaltando, principalmente, a vocação do Brasil para o turismo e a importância de haver políticas públicas adequadas, que estimulem o turismo doméstico e divulguem o Brasil no exterior, valorizando os seus potenciais culturais e ecológicos.

Ele destacou que a recuperação do turismo é resultante do esforço conjunto entre poder público, empresários e entidades representativas do setor. “O turismo é responsável por gerar cerca de três milhões de empregos diretos e formais. Depois da perda de mais de 500 mil postos de trabalho na pandemia, o setor já havia recuperado 320 mil vagas até maio de 2022. E isso, basicamente, com o turismo doméstico, pois ainda estamos aquém da média de turistas estrangeiros que tínhamos em 2019”, pontuou José Roberto Tadros.

Já o ministro do TCU Bruno Dantas, em sua fala de abertura, afirmou que, apesar da crise inflacionária que corrói o poder de compra da população, o turismo segue se fortalecendo. No entanto, ele frisou a importância da reorganização das forças produtivas do País para criar políticas sociais que ajudem a restabelecer a confiança no Brasil. “A segurança, por exemplo, está na raiz dos problemas sociais que impactam o nosso turismo”, afirmou.

Em números

O debate prosseguiu com os painéis “A tecnologia em benefício dos consumidores: a nova relação entre lojistas e clientes” e “O turismo como fonte de riqueza: emprego e renda”, que tiveram a participação de acadêmicos, economistas, representantes do IBGE, do chefe e do analista de inovação da Divisão de Economia e Inovação (Dein) da CNC, Guilherme Mercês e William Guimarães Lima, respectivamente.

Mercês diosse que a recuperação do turismo no Brasil se traduz em números, os quais apontam que, de um lado, o faturamento das empresas do setor, este ano, igualou ao período pré-pandemia, em 2019. Outro dado, pontuou ele, é que 960 mil turistas desembarcaram no Brasil este ano, volume 60% maior em relação a 2021. “A recuperação do turismo acontece no mundo todo e no Brasil não está sendo diferente. Precisamos continuar trabalhando por políticas públicas eficientes de incentivo ao setor, que favoreçam o turismo doméstico e internacional”, afirmou.

O encerramento ficou por conta do ex-presidente da República Michel Temer.