Nessa quinta-feira, 21 de julho, as 30 principais entidades empresariais do turismo brasileiro e as Federações do Comércio (Fecomércios) de todo o País lançarão, em suas mídias sociais, uma campanha reforçando a importância do turismo como vetor de desenvolvimento social. Com a hashtag #vaiturismo2022, a ação visa reforçar o pleito do setor de conquistar espaço para o turismo nos planos de governo e, por isso, vai durar até 2 de outubro, data das eleições gerais no País.

A iniciativa faz parte do movimento Vai Turismo – Rumo ao Futuro, lançado em 2021 pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que reuniu as entidades empresariais do setor e representantes da cadeia produtiva, com o propósito de criar um movimento nacional com pessoas e organizações na elaboração de recomendações de políticas públicas para colaborar com o impulsionamento do setor, especialmente após os impactos da pandemia de covid-19.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destaca a relevância de ações específicas para elevar os números do setor, que, apesar do avanço, ainda estão abaixo de países com condições econômicas equivalentes. “Temos um mercado doméstico de turismo invejável, com pelo menos 30 milhões de brasileiros que viajam com frequência, mas é possível progredir, criar mais empregos no País, promover melhorias sociais e econômicas e proteger o meio ambiente. Para isso, o turismo precisa de políticas públicas efetivas e estruturantes, que possam aumentar a competitividade e consolidar o setor”, afirma Tadros.

Documento com propostas para os presidenciáveis

O primeiro grande passo do movimento foi o desenvolvimento do documento Propostas e Recomendações de Políticas Públicas de Turismo – Nacional, entregue aos pré-candidatos à Presidência Jair Bolsonaro, Simone Tebet e Luiz Inácio Lula da Silva e ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, juntamente com a Agenda Institucional do Sistema Comércio.

O diretor do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da CNC e presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio destaca a importância de convencer os candidatos à Presidência da República sobre a necessidade de tratar o turismo com seriedade e compromisso. “O desafio agora é que as recomendações estejam nos planos e programas dos candidatos à Presidência. Precisamos do comprometimento deles e, após as eleições, vamos acompanhar, para que as propostas se transformem em ações”, afirma o diretor do Cetur/CNC.

Para a elaboração das propostas, o Vai Turismo promoveu mais de 100 encontros técnicos, entre reuniões e workshops, e reuniu cerca de 300 organizações signatárias. Foram desenvolvidos: um benchmarking que mapeou práticas internacionais inspiradoras para o turismo sustentável, pesquisas de percepção e 27 diagnósticos das unidades federativas com base na metodologia de Destinos Turísticos Inteligentes.

Com base na relatoria e na sistematização dos temas debatidos em cada estado, os tópicos em comum transformaram-se em demandas regionais, e as prioridades regionais se consolidaram na agenda nacional, que aponta, entre as macroestratégias, cinco temas necessários à consolidação e à competitividade do setor: Investimentos Convergentes, Inteligência, Incentivo, Oferta Qualificada e Governança. Em agosto, também será realizada a entrega de 27 documentos estaduais.

Confira o documento Propostas e Recomendações de Políticas Públicas de Turismo – Nacional

Entidades que apoiam as Propostas e Recomendações de Políticas Públicas:

  1. Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC)

Segmento de Agências de viagens:

  1. Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV Nacional)
  2. Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp)
  3. Associação Latino-Americana de Gestão de Eventos e Viagens Corporativas (ALAGEV)
  4. Federação Nacional de Turismo (FENACTUR)

Segmento de promotores e empresas de eventos

  1. Associação de Marketing Promocional (AMPRO)
  2. Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC Brasil)
  3. Associação Brasileira de Promotores de Eventos (Abrape)
  4. União Brasileira de Feiras e Eventos de Negócios (Ubrafe)

MEIOS DE HOSPEDAGEM E ALIMENTAÇÃO

  1. Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional)
  2. Associação Brasileira de Resorts (Resorts Brasil)
  3. Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel)
  4. Associação Nacional de Restaurantes (ANR)
  5. Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA)
  6. Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB)

OPERADORAS DE VIAGENS

  1. Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (BRAZTOA)

PARQUES TEMÁTICOS

  1. Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (SINDEPAT)

TRANSPORTE AÉREO

  1. Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR)

TRANSPORTE MARÍTIMO

  1. Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (CLIA Brasil)

TRANSPORTE TERRESTRE

  1. Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais (ABOTTC)
  2. Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento (ANTTUR)
  3. Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA)

ECOTURISMO E TURISMO DE AVENTURA

  1. Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta)

TURISMO SOCIAL

  1. Associação Brasileira de Turismo Social (ABRASTUR)

TURISMO DE LUXO

  1. Brazilian Luxury Travel Association (BLTA)

TURISMO RECEPTIVO

  1. Associação Brasileira de Turismo Receptivo Internacional (Bito)
  2. Associação Brasileira de Turismo Receptivo (RECEPT Brasil)

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

  1. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional)

GESTÃO E PROMOÇÃO DE DESTINOS

  1. Brasil Convention & Visitors Bureau
  2. União Nacional dos CVBs e Entidades de Destinos (UNEDESTINOS)

Assinam as propostas as Federações do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) das 27 unidades federativas.