A Fecomércio-RJ e o Sebrae Rio promoveram, no dia 24 de maio, o encontro on-line Rio Empreender Criativo que reuniu diversos segmentos para debater o impacto positivo que os setores da economia criativa podem ter no desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro.

No encontro, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer o projeto que produzirá dados, informações e reflexões para o fortalecimento dos setores criativos, com base na educação, cultura, arte, turismo gastronomia e audiovisual.

“A Fecomércio-RJ entende que a economia criativa gera, principalmente, a renovação do mercado. E é, exatamente, no desenvolvimento empresarial que ela será aplicada”, destacou Thiago Vieira, da Gerência de Produtos da Federação.

O objetivo do projeto é recuperar a economia pelo conhecimento, organizando as demandas por inovações e transformando o potencial da cidade em efetiva oportunidade de recursos, com geração de empreendimentos.

“O Sebrae Rio e a Fecomércio-RJ procuram estimular a vocação natural do Rio de Janeiro, que é a economia criativa. Nós somos conhecidos internacionalmente com grande potencial criativo nas áreas de arte, cultura, entretenimento e turismo. Porém, ainda carecemos de iniciativas e políticas públicas que organizem de maneira clara a demanda por inovações. Esse projeto tem o objetivo de contribuir para mudar essa situação”, disse o diretor do Sebrae Rio Sérgio Malta.

O Rio Empreender Criativo prevê ainda a criação de territórios na cidade, distribuídos em cinco distritos e em temas como alimentação, nutrição, gastronomia, educação, audiovisual, arte, cultura e entretenimento, teatro, música e turismo.

De acordo com o assessor de inovação do Senac-RJ, José Aranha, que apresentou o projeto, territórios mais inovadores proporcionam melhor qualidade de vida.

“O conhecimento é que faz a diferença, ele faz a inovação e dá mais qualidade de vida à população. O território inovador aumenta o PIB e a renda”, afirmou o professor.