Pessoas são fundamentais em qualquer organização. Nas empresas varejistas, o papel das pessoas é ainda mais fundamental.

Na loja, que reúne os dois maiores patrimônios do negócio – clientes e produtos, que precisam ser cuidados com todo carinho – e na qual ocorre a experiência de compra, o papel do seu time de profissionais é ainda mais relevante.

Se o papel da equipe, composta por vendedores, operadores de caixa, repositores, pessoal de limpeza e outros, é cuidar bem de produtos e clientes, para proporcionar uma excelente experiência de compra, qual é o papel do gerente que lidera esse time?

Tenho proposto mudar o termo “gerente de loja” ou equivalente para “cuidador”, no crachá profissional. E por que cuidador? Porque se o papel do time da loja é cuidar bem de clientes e produtos, o papel do gerente é cuidar bem desse time. Para que esteja motivado a cuidar bem dos clientes e dos produtos. Para isso, mais que chefe, o gerente de loja precisa ser um verdadeiro líder.

O líder orienta, mostra como faz, desenvolve, fala “nós”, dá crédito, gera entusiasmo e resolve problemas. Já o chefe controla, inspira medo, fala “eu”, usa as pessoas, recebe crédito e procura sempre culpados.

Gerente de loja: liderando na prática

De forma objetiva, gostaria de propor algumas ações que vão mudar a percepção dos seus colaboradores sobre você, gerente de loja, que tem a responsabilidade de liderar um time.

Como chefes, fomos condicionados a observar o que subordinados estão fazendo errado para chamar a atenção. E para ser um líder de verdade é preciso mudar esta chave. Passe a observar o que os seus liderados fazem certo para reconhecer e elogiar. Existem dois tipos de pessoas: as que gostam de elogios e as mentirosas. De qual lado você está?

A partir de agora, você só chamará a atenção de alguém depois de fazer três elogios. Ninguém melhora se você só apontar erros e chamar a atenção. As pessoas melhoram sendo reconhecidas no que fazem de bom. Isso se aplica não somente ao ambiente de trabalho, mas, também, à família e aos amigos, ou seja, com todos com quem você convive. Agindo assim, você se tornará uma pessoa melhor e fará quem convive com você mais feliz, aumentando também o seu nível de felicidade.

Seu compromisso comigo é aplicar o princípio de três por um: só chamar a atenção de alguém depois que fizer três elogios. Você verá o quanto é difícil elogiar. Criticar é muito mais fácil.

Além das habilidades técnicas, o líder precisa desenvolver e aprimorar suas habilidades humanas. Isto é, precisa entender de gente e saber comunicar-se.

O papel principal do líder com relação aos seus liderados:

– Se o liderado não sabe, o papel do líder é ensinar;

– Se o liderado não pode, o papel do líder é ajudar;

– Se o liderado não quer, o papel do líder é motivar.

Em resumo, o líder deve avaliar constantemente os seus colaboradores, dando sempre todo o feedback necessário. Se não apresentarem os resultados esperados, precisarão ser substituídos, mas não sem antes terem passado pelo que denominamos de “Ciclo Virtuoso da Liderança”.

Espero que a leitura deste artigo seja útil para quem está iniciando ou quer aprimorar a sua jornada de liderança e quer passar de técnico brilhante ou chefe temido para líder respeitado.