Participação do comércio no Produto Interno Bruto (PIB) teve queda de 1,8% em 2014, segundo os dados das contas nacionais divulgados hoje pelo IBGE. Essa é a primeira queda desde 2009 (-0,2%), quando o País ainda se ressentia dos efeitos da última grande crise financeira internacional. Em termos nominais, o PIB somou R$ 5,52 trilhões no ano passado. Já o volume de vendas do comércio varejista teve alta de 2,2% – o pior resultado desde 2003, quando houve queda de 3,7%. “Comparado ao trimestre imediatamente anterior, o PIB da atividade comercial caiu pelo terceiro trimestre consecutivo, registrando variação de -2,9% – o pior desempenho de todos os setores discriminados pelas contas nacionais”, afirmou o economista da CNC Fabio Bentes.

De acordo com os dados, dentre os três grandes setores econômicos, o maior destaque foi o setor de serviços, que responde por 71% do valor adicionado, registrando expansão de 0,7%. No entanto, o avanço do setor terciário foi o pior resultado da nova série histórica das contas nacionais recalculada a partir de 1996. A agropecuária (+0,4%) registrou crescimento mais tímido, principalmente considerando-se seu desempenho em 2013 (+7,9%). Já a indústria caiu (-1,2%) pela primeira vez em cinco anos. A participação do setor secundário na economia recuou de 25,3% para 23,4% nos últimos nove anos.

A Divisão Econômica da CNC projeta para 2015 recuo no PIB de 1,0%, devido, sobretudo, aos baixos níveis de confiança, associados à deterioração das condições de consumo e investimentos. Indústria (-2,4%) e serviços (-0,2%) deverão puxar a economia para baixo, segundo a previsão.

 

Fonte: CNC