Compliance do futuro – Foto Arteiras Comunicação

O presidente Antonio Florencio de Queiroz Junior participou, no dia 03 de junho, da abertura do evento Compliance do Futuro, na sede da Fecomércio RJ, no Flamengo. Em formato híbrido, a iniciativa do Sistema Fecomércio RJ reuniu especialistas para analisar e reforçar a iminência da pauta ESG, com foco em ganhos éticos, morais e de responsabilidade corporativa para as empresas do setor de comércio de bens, serviços e turismo no estado do Rio de Janeiro.

Normalmente, não conseguimos enxergar o comércio integrado a práticas de compliance. Não que não tenhamos, mas não damos visibilidade a esse engajamento que caracterize como o setor atua nessa área. E não existe setor melhor para passar boas práticas e essa mensagem para a população. Primeiro, porque somos os maiores empregadores. Segundo, e mais importante, somos a porta para o primeiro emprego. A maioria dos jovens entra no mercado de trabalho atuando no comércio. Então, temos uma responsabilidade muito grande, que é desenvolver o perfil do negócio, da integridade. O que queremos é implantar e disseminar essa cultura da ética perante as atividades que o comércio exerce. Temos que estar atentos ao nosso comportamento. A Fecomércio RJ prega isso porque é parte da nossa natureza, da nossa condução e do nosso dia a dia”, afirma Antonio Florencio de Queiroz Junior.

O evento contou com três palestras mediadas pelo consultor da J Meira, André Meira. O delegado da Polícia Federal Márcio Derenne, vice-diretor da Interpol na ONU e representante da Interpol na Organização dos Estados Americanos (OEA), abordou o tema “Governo e Compliance: o caso Interpol x ONU”.

Roberta Codignoto, conselheira da Comissão de Ética da Presidência da República e presidente do Conselho de Ética da Rede Governança Brasil, falou sobre “Programa de Integridade e sua evolução”, apresentando os mecanismos para aplicação efetiva de códigos de ética e conduta nas empresas.

“Compliance e Transformação Digital”, painel que abordou a gestão de dados, caminhos de inovação, boas práticas e regulamentações do ecossistema digital, foi o tema apresentado por Isabela Ferrari, juíza federal do TRF2, doutora e mestra pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professora da UNESCO no curso de Inteligência Artificial e Estado de Direito.