Programas promoverão desenvolvimento dos líderes sindicais e fortalecimento econômico dos representados pelas entidades

A Fecomércio-GO, por meio do seu presidente Marcelo Baiocchi, recebeu nesta quinta-feira (30/06), o Chefe de Divisão Jurídica e Sindical da CNC, Alain Alpin Mac Gregor, do diretor-superintendente do Sebrae Goiás, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, e do presidente do Sindinformática, Marco Chaul, para oficializar a parceria com o Sebrae para os programas Sindicato Forte e Comércio Forte.

Ambos os programas vão promover o desenvolvimento, a capacitação e apoiar os líderes sindicais com o objetivo de ampliar as competências gerenciais, sociais e políticas. O intuito é de criar um ambiente favorável ao fortalecimento econômico para os representados pelos sindicatos, para, posteriormente, fortalecer todos os segmentos do comércio goiano.

A iniciativa promoverá diversas atividades, dentre elas: capacitação sindical, webinars, consultorias de gestão e liderança, e até mesmo missões nacionais e internacionais.

Para o representante da CNC, esse programa é uma revolução para o sistema. Como os sindicatos perderam a contribuição compulsória agora é necessário que eles se tornem atrativos, pois um ponto positivo que a pandemia trouxe foi a revolução das entidades, as tornando mais atuantes graças ao aumento do associativismo. Os sindicatos passaram a defender efetivamente as empresas junto aos governos, tanto estadual, quanto municipal, e até mesmo defender os interesses da atividade econômica com o objetivo de fortalecer essa atuação.

“O Sebrae defende as microempresas e as empresas de pequeno porte, então no fim das contas, estamos todos defendendo o mesmo público. Como o Sebrae tem esse know-how que está sendo disponibilizado para as entidades, os sindicatos agora vão ter um potencial de capacitação, treinamento e visibilidade”, explicou Alain Mac Gregor sobre a importância do convênio entre a Fecomércio-GO e o Sebrae Goiás.

“O trabalho que foi feito pela Fecomércio-GO é um trabalho exemplar. Vocês têm uma Federação super atuante que está se multiplicando em todos os âmbitos. A Federação e o Sesc-Senac estão se tornando um polvo, ocupando todos os espaços e eventualmente, no final, os sindicatos também vão passar a ocupar esses espaços”, reiterou o representante da CNC.