A partir de agora é proibida a fixação de alíquotas em patamar superior a 17%

Nesta segunda-feira (27), o governador Ronaldo Caiado anunciou a redução da alíquota de ICMS para combustíveis, energia elétrica e serviços de comunicações em todo o estado de Goiás. Com isso, a taxa aplicada à gasolina passa de 30 para 17%, ao etanol, de 25 para 17% e no caso do óleo diesel, a alíquota passa de 16 para 14%.

Para o presidente da Fecomércio-GO, Marcelo Baiocchi, a redução das alíquotas é muito importante para a economia do estado porque vai trazer mais justiça fiscal.

“Mais importante ainda foi sobre o diesel que já tinha uma alíquota de 16%, mas mesmo assim, na sensibilidade do governo de Goiás, foi reduzido para 14%, que causa impacto em toda a economia, pois todos os produtos utilizam esse insumo em seu transporte, portanto entendemos o quão foi significativo a lei complementar que trouxe a redução sobre os combustíveis”, disse Baiocchi.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), Márcio Andrade, o impacto da redução para o consumidor é pagar mais barato no posto, logo de imediato, e para o empresário é deixar os preços mais acessíveis para o consumidor, gerando mais movimento nos postos e mais rentabilidade nos negócios, mas o maior bem é para a sociedade como um todo, onde será possível diminuir os índices da inflação e aquecer a economia, principalmente por causa da redução do diesel.

“Com isso, o governador Caiado deu incentivo tanto ao agronegócio, quanto ao transporte e a toda economia do estado, que será refletido na redução do preço dos bens de consumo. A redução poderá ser percebida rapidamente, assim que as distribuidoras começarem a repassar para os postos. Os estabelecimentos já esperavam por esse momento e por isso mantinham os estoques mínimos para comprarem os produtos com preços reduzidos. Até o fim da semana os postos já estarão repassando ao consumidor essa redução de forma integral”, explica Márcio Andrade sobre como a decisão influenciará diversas áreas importantes da economia do Estado.