Nesta quarta-feira (22), a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apresentou a Agenda Institucional do Sistema Comércio, um documento com proposições para o desenvolvimento dos setores representados pela entidade.

O encontro foi realizado no Centro de Convenções Brasil 21 e contou com a participação do Presidente da República, Jair Bolsonaro, o presidente da CNC, José Roberto Tadros, o presidente da Fecomércio-GO, Marcelo Baiocchi, além dos demais presidentes das Federações do Comércio (Fecomércios), Federações Nacionais, Sesc, Senac, líderes sindicais e empresariais e autoridades políticas.

Tadros fez a abertura do encontro e destacou que o documento é o primeiro passo de uma ferramenta que será um divisor de águas para todo o Sistema Comércio. “A Agenda Institucional foi criada a partir da necessidade de relacionar os temas de interesse do comércio de bens, serviços e turismo, do Sesc e do Senac, em conformidade com o que é monitorado, prioritariamente, pela CNC, nos âmbitos dos Poderes Executivo e Legislativo”, disse o presidente da CNC sobre como o documento é um instrumento importante para o desenvolvimento empresarial, econômico e social.

Para Marcelo Baiocchi, a Agenda Institucional do Sistema Comércio é uma importante ferramenta que apresenta as pautas prioritárias aos setores do comércio de bens, serviços e turismo, direcionando as ações nos poderes e em como isso causará um impacto positivo nas cerca de cinco milhões de empresas representadas pela CNC, que geram 25 milhões de empregos diretos e formais em todo o Brasil.

“No documento são apresentadas propostas e recomendações de políticas públicas que o setor terciário entende serem fundamentais para a economia do País, divididas em macrotemas como legislações empresarial, tributária, trabalhista, do consumidor e sindical; normalização comercial, acesso ao crédito, infraestrutura, poder público e micro e pequenas empresas”, pontuou o presidente da Fecomércio-GO.

Presidente Bolsonaro quer Ministério com representante do setor

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, falou ao público presente sobre as medidas adotadas pelo Governo em prol do setor. Bolsonaro foi recepcionado pelo presidente da CNC, José Roberto Tadros, que agradeceu à participação e pontuou se tratar de um fórum com representantes do comércio de bens, serviços e turismo que representam 73% do PIB do País.

Jair Bolsonaro iniciou sua participação no evento afirmando a intenção de recriar o Ministério da Indústria e do Comércio, com um representante indicado pelo setor. Para o Presidente da República, é importante ter o olhar voltado a um setor tão impactado pela pandemia.

“Muitas cadeias produtivas foram afetadas, mas a nossa economia não parou em 2020, sobretudo por programas como Pronampe e auxílio emergencial. Em 2021, os senhores criaram mais empregos do que em anos sem pandemia, como 2014 e 2015”, pontuou.

Combustíveis e ambiente de negócios

O Presidente da República aproveitou o espaço para falar do impacto da alta de combustíveis no Brasil para a sociedade, apontando que a situação poderia estar melhor se não fosse pela atuação da Petrobras e os impostos. “Nós vamos bancar o custo de despesas dos estados com diesel e gás de cozinha. Tivemos o cuidado não só de não majorar os impostos, mas de diminuir”

Bolsonaro também respondeu perguntas sobre temas como empreendedorismo, reforma administrativa e reforma trabalhista. Questionado sobre a regulação de um ambiente de negócios saudável, pontuou a necessidade de um livre mercado.

“Entendo que um Banco Central independente é importante. Hoje temos um PIB fantástico e subimos para a 10ª economia do Mundo. Quem leva isso para a frente são vocês. Meu trabalho é não atrapalhar”, destacou, listando ainda ações econômicas implementadas recentemente, como os marcos regulatórios aprovados para o setor, os acordos comerciais e o leilão de 5G.

Ao final, recebeu das mãos do presidente Tadros o documento que consolida a Agenda Institucional do Sistema Comércio, apresentando propostas e recomendações de políticas públicas que o setor terciário, como: legislações empresarial, tributária, trabalhista, do consumidor e sindical; normalização comercial, acesso ao crédito, infraestrutura, poder público e micro e pequenas empresas (MPEs).

*Com informações da assessoria de comunicação da CNC

Confira aqui a Agenda Institucional do Sistema Comércio – Propostas e Recomendações de Políticas Públicas do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.

Confira as Propostas e Recomendações de Políticas Públicas de Turismo – Nacional.