Otimismo avança pelo segundo mês seguido, puxado pela intenção de contratação.

O ICEC – Índice de Confiança do Empresário do Comércio, elaborado mensalmente pela Fecomércio-BA, registra 117 pontos em junho, alta mensal de 2,7%, a segunda seguida. O atual patamar é o maior desde março de 2020, início da pandemia. Na comparação com o mesmo período do ano passado houve avanço de 34,1%.

Todos os 3 subíndices que compõem o ICEC tiveram aumento em junho. A maior variação foi do Índice de Investimento dos Empresários do Comércio (IIEC) de 3,9%, ao passar de 97,4 pontos, em maio, para os atuais 101,2 pontos, voltando ao patamar de otimismo. E nessa parte de investimento, chama a atenção o avanço de 8,3% na intenção de contratação de funcionários.

“É um ótimo sinal para a economia que precisa gerar empregos para distribuir renda e mimetizar os impactos da inflação sobre o orçamento doméstico. Setores como o de vestuário, supermercados e farmácias estão com bom desempenho no ano e, desta forma, precisam ampliar o quadro de funcionários para atender a um público maior. Contudo, não é uma tendência de todos os setores do varejo”, destaca o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze.

Outro subíndice do ICEC, o Índice de Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC) atingiu 97,5 pontos. Embora esteja no patamar pessimista, houve crescimento de 3,6% na comparação anual e de 75% no contraponto anual, quando em junho de 2021 o patamar foi de 55,7 pontos.

“Dentro desse subíndice, a avaliação melhorou em todos os aspectos, da economia em geral, em relação ao setor varejista como um todo e do próprio negócio do empresário. E para o curto e médio prazo também houve aumento do otimismo”, relata Dietze. O subíndice de expectativa dos empresários do comércio (IEEC) subiu 1,4% em junho e alcançou 152,3 pontos.

Para Dietze, de certa forma, há uma ligação direta entre os três subíndices. “Se o comércio está vendendo mais agora e a expectativa é de ampliar esse cenário positivo, a tendência é que os empresários busquem investir e contratar novos funcionários. E o Dia das Mães em maio e Dia dos Namorados em junho contribuíram para esse movimento favorável do segmento”, relata o economista.

E os números do ICEC trazem um novo ânimo para a próxima data comemorativa importante do varejo, Dia dos Pais, no início de agosto. Segundo Dietze, embora haja esse sentimento mais positivo, “é importante ressaltar que a recuperação das vendas e da confiança se dá com limitações, uma vez que a inflação tem corroído o poder de compra das famílias”.