Crédito/Foto: Pixabay_12019 / 10257

O principal destino nacional, nos três primeiros meses do ano, foi a região Nordeste. A maior parte das compras foi para Salvador, a capital da Bahia. Em seguida, Fortaleza, no Ceará, Maceió, em Alagoas, e Natal, no Rio Grande do Norte. Em terceiro lugar nas compras de pacotes foram para Porto de Galinhas, em Pernambuco, e Porto Seguro, na Bahia.

Já os destinos internacionais mais comprados no primeiro trimestre foram: Orlando, nos Estados Unidos, Cancún, no México e Lisboa, em Portugal. Em segundo lugar ficou a capital francesa, Paris. Os terceiros destinos mais vendidos, no mesmo período, foram Dubai, nos Emirados Árabes, e Egito, país do continente africano.

De acordo com os consultores, os preços das passagens nacionais estão 55% mais caras e para outros países subiram 59%. O que, para eles, é considerado abusivo por reduzirem o poder de compra dos turistas, que já sofrem impactos da inflação.

Segundo Mariana Aldrigui, doutora em Turismo da Universidade de São Paulo, isso faz com que as agências de viagens ofereçam alternativas mais atrativas aos viajantes.

A especialista diz que consultores da associação não acreditam que as passagens baixem este ano. A previsão é que a partir de 2023 pode haver queda nos preços.

Mariana Aldrigui destacou a importância de agentes de viagem sérios, que possam dar dicas de bons preços e destinos. E alertou quanto à ocorrência de possíveis golpes.

Durante o debate, os consultores citaram destinos diferentes como Jalapão, no Tocantins, além de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e interior de São Paulo. Entre os internacionais, os destaques podem ser Nova Iorque ou Miami, nos Estados Unidos, e também a Europa.

Edição: Leila Santos / GT Passos

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional